II Semana do Livro da Bienal PE. 9 e 10 de dezembro de 2020. Às 18h e 20h. Lives com audiodescrição e Libras ao vivo!

II Semana do Livro de Pernambuco: ClariceViva. Lives e atividades com audiodescrição e Libras ao vivo!”. Programação: 09 de dezembro, 18h Benjamin Moser, 20h Eliane Robert Moraes. 10 de dezembro, 18h Amélia Reynaldo, 20h Marilene Felinto. Abaixo, saiba mais sobre os palestrantes, suas falas e o link para acessar a audiodescrição.
Sobre fundo branco, em lilás, um portal cor de rosa, com um arco no topo. Nele o desenho em tom azulado de Clarice da cintura para cima. Ela tem cabelos à altura da nuca, que estão ao vento. Olha para a direita. Tem sobrancelhas finas e arqueadas. Está séria. O corpo está envolto em uma estampa da praça Maciel Pinheiro, da ponte de ferro e do céu estrelado. Abaixo do portal, centralizado, também em tom azulado, “Clarice Viva”, escrito em letras finas de forma, com detalhes vazados de pontas de estrelas. Logo abaixo, a programação do dia 09 e 10 separada por um desenho de um ovo em um ninho.
No rodapé, as marcas dos realizadores e apoiadores: Bienal do Livro, Companhia de Eventos, Vox Produções, Ideação, Com Acessibilidade Comunicacional e os símbolos da audiodescrição e da Libras.
Palestrantes:
Benjamin Moser “O primeiro beijo e outras Histórias” 9 de dezembro, 18h. “O biógrafo de Clarice Lispector, o norte-americano e ganhador fala de como conheceu a obra da autora e da travessia até a escrita da biografia Clarice”. Com audiodescrição: https://cutt.ly/nhbub8L
Eliane Robert Moraes “A potência do mínimo, segundo Clarice Lispector” 9 de dezembro, 20h. “Tudo que é vivo se contrai” – diz Clarice Lispector em A descoberta do mundo, como que resumindo a razão de seu interesse pelas formas de vida reduzidas à sua essência. De Ovo à água viva, da baba ao ectoplasma, de uma tartaruga arfando à uma barata morimbunda, toda sorte de “matéria vivente” que seja ínfima, insignificante ou mesmo informe atrai a sua atenção. A palestra da crítica literária Eliane Robert Moraes (USP) procura interrogar esse procedimento em obras da autora.” Com audiodescrição: https://cutt.ly/hhnXq9L
Amélia Reynaldo “A Cidade Sitiada” 10 de dezembro, 18h. “A cidade do Recife abrigou os anos de formação de Clarice Lispector e aparece com cenário de alguns dos seus principais contos, como Felicidade clandestina. A arquiteta Amélia Reynaldo (Unicap) faz um apanhado da história do centro do Recife à luz da obra da autora. E nos faz pensar em como uma cidade é também construída pela narrativa dos seus escritores e as figuras que dela decorrem”. Com Audiodescrição: https://cutt.ly/ShmDmYm
Marilene Felinto “Um mundo todo vivo tem a força de um inferno” 10 de dezembro, 20h. “ A escritora pernambucana Marilene Felinto fala de suas leituras da obra de Clarice Lispector e da evocação que ela faz da infência no Recife. E retoma ainda alguns temas do romance A paixão segundo GH, sobretudo a forma como as empregadas domésticas são tratadas nas obras de Lispector” Com audiodescrição: https://cutt.ly/jhmDYxL
#clarice100anos @bienalpe